28 agosto 2013

Por um mundo onde as pessoas consigam lidar com os sentimentos!


Começarei perguntando: o que são sentimentos? Sei que muitas pessoas vão responder que são manifestações da mente humana. Eu prefiro dizer que são manifestações corporais provenientes da interação do indivíduo e o ambiente. E o que eu acho facinante nesse assunto é que nós aprendemos através do meio social (pais, amigos, professores, etc) a detectar estas manifestações corporais. Por exemplo, seu filho está chorando porque seu cachorrinho sumiu e você fala para ele não ficar triste
    Quando falamos de sentimentos é comum atribuir a eles uma função explicativa ou de causa. "Eu bati no meu irmão porque eu estava com raiva dele". Mas com essa atribuição causal dos sentimentos temos a impressão de que eles aparecem de forma espontânea e que são incontroláveis e imprevisíveis. Ao invés disso, devemos entender que os sentimentos são provenientes de um evento antecedente que produziu tanto comportamentos observáveis quanto as reações corporais (sentimentos). Se as emoções são produzidas pela interação da pessoa com o ambiente, que tipos de sentimentos você produz no seu filho? 
    Para lidar com as emoções é necessário saber discriminar as reações coporais e como dito no início, aprendemos isso no nosso ambiente social. Por exemplo: minha mãe viajou por um longo período de tempo - saudade; meu amigo não quer brincar comigo - triste; etc. Você pode começar ensinando seu filho a detectar sentimentos pelos orgãos dos sentidos: "A comida está salgada" ; "este objeto é áspero", etc. Depois podemos usar metaforiamente as palavras usadas a partir dos objetos: "o passeio ao clube foi delicioso" (apesar de não ter sabor, metaforicamente, o passeio produziu sensações corporais equivalente a uma comida deliciosa). Assim, para ensinar a discriminação de sentimentos é preciso ensinar a criança a nomeá-los de maneira adequada: Se seu filho dé uma topada na quina da estante o que você fala? "não foi nada"?! Você já deu uma topada na quina de um  móvel?! Eu já e doeu muito!! Assim como me doeu como se fosse uma topada me decepcionar com uma amigo que eu confiava muito.
     Uma pessoa que saiba discriminar e lidar com oque está sentindo,e vou além, uma pessoa que consegue observar seus comportamentos e os contextos em que eles ocorrem, será capaz de ser um agente ativo na sua própria vida. Então:
  • Nas conversas com seu filho, pergunte a ele o que tem feito e como tem se sentido;
  • Pergunte como os colegas dele se comportam com ele. Mas também pergunte como ele se comporta com os outros e peça que ele se coloque no lugar deles;
  • Fale pra ele como você se sente em determinadas situações;
  • Estimule-o a falar também de fatos desagradáveis e de possíveis alternativas para lidar com a situação.
_____________________________________________________________________
Aproveita e avalie o blog! Sua opinião é muito importante, é essencial!


Dúvidas? Sugestão de temas? Participe da coluna Quero Saber!
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!