30 abril 2014

Separação e Filhos

   Há muito tempo não falo desse assunto e tem apenas um post sobre o tema. A leitora Bell - Blog Meus Segredos me sugeriu o tema e eu me atentei a este detalhe. E o tema é tão comum e recorrente. A separação é um grande mudança na família e, como qualquer mudança, pode gerar conflitos. Estes conflitos muitas vezes são relacionados ao o que (e como fazer) com relação a educação dos filhos. Eiste uma visão do senso comum de que família separada significa necessariamente filhos com problemas. O que não é verdade. O que influência o fato de ter "filhos com problemas" é o modo de se relacionar, as práticas educativas utilizadas. 
   Se para uma família dita tradicional (pai, mãe e filhos) já é difícil algumas vezes observar relações positivas (diálogo, carinho, limites) entre pais e filhos, imagine quando se tem duas casas e cada uma com uma regra diferente?! Neste post refletiremos sobre dois pontos:
  • Sobrecarga: Com a separação, a criança fica a maior parte do tempo com um dos pais (geralmente a mãe). O que detém a guarda frequentemente fica sobrecarregado com os cuidados com os filhos, com o trabalho e outras responsabilidades e muitas vezes lançam mão de práticas coercitivas (brigas, castigos, surras...) e acabam não sendo tão atenciosos. E além disso, para compensar a ausência do outro geralmente o detentor da guarda pode ou ser coercitivo demais ou permissivo demais. 
  • Conflitos: O relacionamento entre o ex-casal não é um dos mais harmoniosos especialmente quando a separação é recente. A comunicação é quase inexistente e, em alguns casos, há trocas de insultos inclusive na presença dos filhos. Assim, a relação entre filhos e o não detentor da guarda vai ficando mais distante e a sobrecarga explicitada acima vai ficando mais intensa.
   Estes dois pontos muitas vezes se transformam em um ciclo vicioso que fazem com que os filhos tenham dificuldade em lidar com a separação de maneira saudável. Já que estes ficam em meio a um fogo cruzado. Concordo que muitas vezes o não detentor da guarda não exerce de modod algum seu papel e acha que pagar pensão já é muita coisa. Entretanto, concordo também que quando estes demonstram interesse em manter uma relação com os filhos, o detentor da guarda não incentiva e algumas vezes até dificulta.
   O que fazer? engolir o orgulho. Quantos pais não falam que fariam tudo pelos filhos? então, procure manter uma comunicação com o ex-cônjuge. Procurem manter  um consenso com relação a limites. Não desautorizem um ao outro. Não desqualifiquem um ao outro perante os filhos. Sei que são açõesque parecem simples para quem não está vivendo a situação, mas que na verdade são bastante complicadas. Mas tente. Faça isso pelo seu filho!

_______________________________________________________________
Aproveita e avalie o blog! Sua opinião é muito importante, é essencial!

Dúvidas? Sugestão de temas? Participe da coluna Quero Saber!

Se interessa pelo tema Psicologia e Educação? Participe da coluna Dialogando sobre Psicologia e Educação

27 comentários:

  1. Adorei Le.
    Eu vivo isso, e na responsabilidade de criar tendo a guarda (as vezes sou a chata).
    A visão masculina em alguns casos é essa mesma que vc escreveu, o pai já acha muito dar pensão e não quer aborrecimentos.
    Meu filho particularmente não gosta de ir para a casa do pai, eu estimulo porém respeito.
    Como há uma nova família formada, eu percebo que ele fica sem jeito. Prefere mais quando o pai aparece para almoçar com ele, ou saírem só os dois.
    A situação não é fácil, mas faz parte das famílias brasileiras.
    Teve um ano que na sala de aula dele, só tinha 2 crianças cujo os pais permaneciam juntos ainda.
    Número absurdamente grande, mas é a realidade.
    Quem sofre são as crianças, pois todos querem ver pai e mãe juntos...

    bjokas e um lindo fds =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado mesmo, mas você está no caminho certo!! Beijo

      Excluir
  2. Bom dia Letícia.. separam-se os corpos.. mas a energia ainda esta envolvida.. por isso é necessário os pais estarem bem quando o filho tiver de 0 a 7 é ligado a energia da mãe e dos 7 aos 14 ligado a energia do pai onde quer que eles estejam.. melhor tudo em harmonia sempre bjs e ótimo dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre digo, não existe ex-pai ou ex-mão....beijo

      Excluir
  3. Amiga arrasou neste post esta maravilhoso.
    Venha participar do sorteio de um ano do blog
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Separação é uma coisa bem complicada, eu sei que não é fácil crescer sem o pai e a mãe ao lado mas pior e crescer com eles juntos e brigando o tempo tdo
    bjcas
    http://estou-crescendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas vezes a separação é inevitável e os pais tem que fazer de tudo para ser menos traumático possivel pros filhos. Beijo

      Excluir
  5. É muito complicado para a criança
    Ficam duas criações
    Amei o post
    Bjus
    http://segredosdaluma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e obrigada por seguir e curtir a fanpage. Beijo

      Excluir
  6. Já seguindo e curtindo a página
    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Letícia , ótimo tema abordado, se os pais não tiverem discernimento quem sofre são os filhos
    Beijos ótimo feriado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade...um bom feriado pra você também! beijo

      Excluir
  8. Ótimo tema ! Sou da seguinte opinião, fizeram juntos não foi, então engulam mesmo o orgulho e seja mais lá o que for e criem seus filhos da menor maneira!
    Em uma separação o que me irrita é um ou ate mesmo os dois lados, ficarem denegrindo a imagem um do outro!
    Beijos, Nana ღ
    Blog 1 | Blog 2 | #100HappyDays

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, tem que lembrar que tem os filhos no meio dessa tempestade! beijo

      Excluir
  9. Esse é um assunto muito importante mesmo, o meu enteado sofre com a separação dos pais ate hoje e ele tem 16 anos. Bem complicado.
    Bjus
    http://geriencantodemenina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A adolescência já é uma fase difícil, que com um conflito desses fica mais complicada ainda! beijo

      Excluir
  10. Oi, Letícia!
    Os adultos precisavam aprender a controlar suas mágoas e frustrações, antes de decidirem ter filhos. Muitos dos conflitos infantis começam por presenciar discussões de adultos, o que lhes causa insegurança e instabilidade emocional.
    Nos cursos preparatórios para o casamento, oferecidos por algumas religiões, muitos casais não frequentam por até não frequentarem uma igreja, mas seria o caso de existir uma aconselhamento psicológico por parte da justiça como prevenção - o que vem acontecendo são aconselhamentos acompanhados pela justiça, quando o casal quer se separar - mas daí é tarde! Ressaltando que a justiça escala para esses aconselhamentos, advogados e não psicólogos e que muitas vezes fazem o papel desses.
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria uma idéia oferecer grupo de aconselhamento para casais que desejam ter filhos. beijo

      Excluir
  11. É universal! Em uma separação com filhos quem sofre mais são as crianças.
    Os pais sempre acabam desabafando para elas se esquecendo que ainda não tem capacidade de resolver problemas de adulto.
    Excelente texto.
    Beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá Letícia!
    Muito bom esse tema,mas o que mais se vê é o sofrimento dos filhos falo isso porque
    presencio,super lastimável os pais não querem nem saber e quando chega os problemas....vc
    sabe...muito triste.Obrigada pela carinhosa visita.Tudo de bom!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. ótimo post
    meus pais se separaram eu ja era bem grandinha mais sofri bastante!
    Beijos Jéssica R. Coelho BLOG

    ResponderExcluir
  14. Olá, Letícia...
    Amei este post... é só uma questão de bom censo mesmo.
    Não vivo este momento, mas deve ser muito difícil lidar com este tipo de situação...
    Vejo as minhas amigas comentando e penso... nossa é tão simples, mas não é simples para quem está na situação.
    Adorei o blog...
    Bjs, Pri
    http://maesemfrescura.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!