01 maio 2015

Encontro de Mentes Maternas: A maternidade e a internet

Eis aqui o segundo post do projeto Encontro de mentes Maternas e o tema é: Vantagens e desvantagens de ser uma mãe conectada. O artigo de hoje é uma "bate-papo" pra refletirmos sobre esse tema tão atual.
Imagem do site Folha do Mate

   Quem não está conectado ao mundo virtual hoje em dia?! Acho que podemos contar nos dedos as pessoas que conhecemos que estejam completamente offline. Com a internet as distâncias praticamente não existem. Alguém que mora no Japão pode manter contato com alguém no Brasil como se estivessem apenas a metros de distância. Eu, por exemplo, sou muito grata a internet pois mesmo morando em Londres participo de festinhas de aniversário e outras datas especiais, além, de estar sempre em contato com minha família através do Skype e Whatsapp.
    Para as mamães, a qualquer dúvida sobre um comportamento do filho ou até a respeito de saúde elas podem recorrer ao Google e procurar respostas. Além de gurpos no Facebook e no Whatsapp para procurar suporte e compreensão de quem passa pelo mesmo tipo de situação. É sempre bom para uma mãe saber que há outras pessoas com situações semelhantes para trocarem informações e ajuda mútua. 
    Ah, então tudo são flores no mundo virtual?! Não!
   A mesma internet que encurta distâncias também cria um abismo entre as pessoas. Se por um lado pessoas de continentes tão longe um do outro podem se sentir lado a lado, pessoas que muitas vezes convivem na mesma casa podem se tornar cada vez mais estranhas e distantes. Pensa na seguinte situação: você e sua família depois da janta sentados na sala. Se a cena que veio à sua cabeça foi do seu marido assistindo TV, você no Facebook, seu filho mais velho no Whatsapp e o mais novo vidrado no Tablet, acredito que conheça bem essa distância imposta pelo mundo virtual.
    O que temos que fazer? devemos quebrar os celulares, notebooks e afins? Não, não sejamos tão radicais!
    A maioria dos posts aqui do blog sempre toca no assunto diálogo. Em todos esses anos trabalhando com crianças e família esse ponto sempre tem que ser trabalhado em algum estágio da terapia. Quantas vezes pais e filhos estão no carro, na sala de espera de algum consultório, restaurantes e não conversam?! Especialmente com relação a adolescentes. Pais e filhos que não têm intimidade e cumplicidade. Santo Whatsapp nessas horas em que estão a sós e não sabem como lidar um com outro. E o abismo entre um e outro vai aumentando cada vez mais...
    É claro que tanto pais quanto filhos podem ter seus momentos de distração na internet. Mas não faça disso uma fuga do complicado mundo real. É tão mais fácil escrever um "eu te amo, meu filho" seguido de uma foto fofinha no Facebook. Mas, muitas vezes, os pais "travam" na hora de dizer isso aos filhos cara a cara, especialmente quando eles estão maiorzinhos.
    Intimidade e cumplicidade são contruídas no dia-a-dia. Tenha uma relação de amizade e confiança com seu filho. Converse, pergunte como ele está, fale das suas expectativas, escute as dele também. Procure usufruir o lado bom da internet sem esquecer de também aproveitar o lado bom da sua vida real. Tenha momentos offline com seu filho. Que sejam 20 minutos, mas que sejam minutos de qualidade!
____________________________________________________________________
Este texto faz parte de uma blogagem coletiva do grupo Encontro de Mentes Maternas. Não deixe de ler os artigos dos blogs participantes e boa leitura:


Blog Mãe de 2 - http://maede2.com.br/encontro-de-mentes-maternas-mamaes-conectadas/

Blog Mamy Antenada - http://www.mamyantenada.com/2015/05/encontro-de-mentes-maternas-vantagens-e.html
    
  

7 comentários:

  1. A minha mãe limitou o meu uso de internet até eu quase completar 18 anos, isso me fez muito bem, mas eu acredito que não poderei fazer o mesmo com os meus filhos porque se agora já tem até escolas que dão metade do curso presencial e a outra parte ead imagine até eu virar mãe.

    http://heytutty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que encontrar o quilibrio entre o real e o virtual. Beijo

      Excluir
  2. Oi, Letícia!
    Devemos tomar cuidado ao culpar o virtual. Bom que as famílias façam uma análise se o problema não é outro. Pois veja que antes da existência da internet, o mesmo problema da falta de diálogo já existia dentro das famílias.
    Há dois anos escrevi sofre a "Família e Impactos Tecnológicos" e temo que a minha visão sobre a internet seja mais positiva nas relações do que percebi nos textos linkados :)
    Boa semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre bato na tecla da questão do diálogo, pois em todos esses anos clinicando vejo o quanto isso dificulta o relacionamento entre pais e filhos. Vou dar uma olhada no seu texto. Ah! vou ver tb sobre o link! beijo

      Excluir
  3. Esqueci de avisar que o primeiro link quando clicamos vai para outra página. Apesar de estar o endereço exposto correto.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal seu texto, hoje em dia vivemos nesses dois mundos né? Não tem jeito, é preciso só ter limite nesse uso da vida virtual em excesso..
    Beijo
    ;)
    www.umalindapromessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Gessica...temos que aprender a ponderar o virtual e viver mais o mundo real! Beijo

      Excluir

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!