15 maio 2015

Encontro de Mentes Maternas: A maternidade e suas frustrações

Este é mais um artigo deste projeto que é muito querido e tem me motivado bastante. O tema de hoje é: mulheres (e/ou mães) e suas frustrações. Pensei em discutir alguns acontecimentos frustantes em algumas fases desse trajeto da maternidade...

 Eu ainda não sou mãe, mas através de contato com familiares, amigas e, principalmente, mães de clientes, percebo que junto com a mágica da maternidade vem também as frustrações:
Imagem do Blog Cegonharia
  • Decisão de ser mãe:  Algumas vezes a danadada frustração pode ocorrer antes mesmo do filho ter sido concebido. Sim! Para algumas mulheres parece ser tão simples, pensam: "acho que está na hora de ter um filho" e depois de alguns meses: grávida! Entretanto, para outras não é nada assim tão simples. Tentam, tentam, tentam...e nada de gravidez. "E agora?". "O problema é comigo? é do meu marido?" estas são algumas das interrogações que vêm a cabeça. Muitos casais entram em crise, e até mesmo, se separam por não conseguirem lidar com um possível quadro de infertilidade. As cobranças, o sentimento de culpa e até mesmo a baixo alto-estima perseguem muitas das tentantes.
  • Gravidez: Há mulheres que não têm uma gravidez tão tranquila, seja por problemas biológicos ou por problemas emocionais. Quantas mulheres nãose sentem sozinhas e desamparadas durante esse período?! Nem toda grávida tem a ajuda do parceiro. Não são poucos os casos em que a mulher se vê totalmente sem o apoio do pai da criança. E assim, ao invés de curtir e viver plenamente esse momento único, muitas sentem como se a gravidez fosse um peso. 
  • O desenvolvimento do filho: E quando seu filho não se desenvolve como o esperado?! Você está toda ansiosa pra vê-lo engatinhar, andar, falar, fazer travessuras...mas, isso simplesmente não acontece, ou demora muito! Eu sou uma tia especial, lembro da angústia da minha irmã esperando que a Beatriz, minha sobrinha linda, se desenvolvesse como as outras crianças. Eu a vi chorar muitas vezes. Não foi fácil. Não é fácil. Os sentimentos que descrevi presentes nas tentantes também se enquadram aqui.  
  • Filho real: No post sobre alopécia areata e falei um pouco sobre esse ponto. Nós tendemos a idealizar tudo, e com os filhos não é diferente. Quantos planos os pais não fazem para os filhos e quantos sonhos os pais querem realizar através dos filhos!?! E estes pais estão "construiram" um filho ideal de uma maneira tão sólida que qualquer realidade, mínima que seja, demonstrada pela criança/jovem é bem sofrido para eles. Imagina para uma mãe que imaginou o filho casado e enchendo a casa de netos e derrepente descobre que o filho é homossexual?! Não estou discutindo se é certo ou errado, e sim, tentando refletir no quanto que essa construção desse filho idealizado pode dificultar uma relação saudável entre pais e filhos. Afinal, amar incondicionalmente é amar do jeito que a pessoa é.
  • Perda: Este é um dos pontos mais difíceis de abordar. Não tem o que falar sobre a dor que deve ser para uma mãe lidar com a morte de seu filho. Percebo o quanto é difícil pra mãe seguir em frente, desde doar as roupas, desfazer o quarto até a tentar ser feliz. Mas aí muitas das mães que passaram por essa situação dolorosa irão se perguntar: "Como ser feliz de agora em diante?". É difícil. É doído. É uma cicatriz que vai estar ali sempre e vai doer vez ou outra, mas é preciso seguir em frente.
    Cada um desses pontos valeria um post (ou vários). E as frustrações presentes na maternidade são inúmeras, umas menores outras mais difíceis, como as que listei aqui. Mas na vida o que mais fazemos é aprender a conviver com as dificuldades. Não existe vida perfeita, muito menos mãe e filho perfeito. A melhor maneira de lidar com as frustrações é, primeiro, aceitar a situação e assim, pensar em se adaptar e tirar o melhor de cada dificuldade. Afinal, não dizem que ser mãe é padecer no paraíso?!
____________________________________________________________________
Este texto faz parte de uma blogagem coletiva do grupo Encontro de Mentes Maternas. Não deixe de ler os artigos dos blogs participantes e boa leitura:

Blog Mamãe Coach - http://www.mamaecoach.com.br/#!frustracoes-e-cobrancas-maternas/c15m4

Blog Mãe de 2 - http://maede2.com.br/mae-de-2-e-suas-frustracoes/

Blog Mamy Antenada - http://www.mamyantenada.com/2015/05/blogagem-coletiva-mulheres-eou-maes-e.html

Blog Mamãe Prática - http://mamaepratica.com.br/2015/05/15/frustracoes-maternas-alguns-perrengues-que-a-maioria-das-maes-passa-encontro-de-mentes-maternas/


2 comentários:

  1. Tb ainda nao sou mae, mas acho bem dificil educar um filho, porem, e valido e maravilhoso te-los. Bjs e parabens pelo poster.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Maria, seja sempre bem-vinda! Beijo

      Excluir

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!