22 junho 2015

Sobre perdas e ensinamentos...

   Hoje o post será bem pessoal.
   Era uma sexta-feira (19/06/15) e meu pensamento era que eu estava louca pra terminar o serviço e ir pra casa. Já estava pensando sobre o que fazer no final de semana. Ou seja, um dia normal como outro qualquer. Mas em questão de segundos eu perdi o chão e minha vida virou de cabeça pra baixo. Recebi a notícia do falecimento de um tio muito especial, um tio-pai, o Tio César. Ele havia sofrido um acidente de carro.
   Eu me desesperei, me revoltei, me senti como se tivessem me tirado o chão, o ar. Fiquei bem perdida. Ainda não me encontrei, confesso. Mas passado apenas 3 dias eu refleti sobre algumas lições que achei por bem compartilhar, pra ajudar alguém que esteja perdido como eu depois de uma perda e também como uma forma de homenagear o tio César, que era um poeta e se expressava bem com as palavras, era um compositor e estava sempre a procura da rima perfeita.
Imagem do site Esperança
  • A mais importante das lições que aprendi nesses três dias é que a família é o nosso porto seguro e o bem mais precioso. Não importa o quão diferentes eles sejam, o quanto você discorde e até discuta com alguns deles. São eles que estarão lá pra te reerguer. Mãe, avó, marido, irmãos, primos, primas, tios, tias, cunhados, sobrinhos...são eles que estarão lá pra te mostrar que tem luz no fim do túnel (muitas vezes nem eles conseguem enxergar isso ainda, mas mesmo assim eles fazem você acreditar que ela está logo ali);
  • Quem tem amigo tem tudo. Parafraseando uma canção os amigos de verdade choram o nosso choro e sorriem o nosso sorriso;
  • Recebemos ajuda de onde menos esperamos. E as vezes, o contrário também acontece, nem todo mundo está disposto a lidar com o luto do outro;
  • Nunca deixe de demonstrar o seu amor e admiração por alguém. Se brigou ou está magoado, resolva. Não deixe pra depois. Hoje mais do que nunca eu sei que a frase "a gente nunca sabe o dia de amanhã" é muito verdadeira. Eu me sinto em paz por saber que o tio César sabia que era amado.
  •   A distância não é nada perto do amor e da cumplicidade. Eu aqui tão longe da minha família e dos meus amigos, mas me sentindo tão amada e tão amparada, tanto por quem está do meu lado (o meu marido) quanto por quem está em outro continente.
    Eu não sou forte e imune ao sofrimento por ser psicóloga. Eu estou sofrendo bastante. Choro. Me revolto algumas vezes. Me sinto sozinha. Estou desmotivada. Estou muito triste. Mas aí tudo isso que contei ali em cima me fortalece e me fazem levantar a cabeça. 
    A vida é assim, de vez enquando ela apronta e nos dá umas rasteiras. Não é vergonhoso sofrer, mas algo que acredito é que nenhuma dor deve ser em vão, sempre temos algo a aprender pra ficarmos mais fortes. Afinal, hora ou outra nos deparamos com momentos difíceis. 
   Ainda nao estou bem, mas eu vou ficar.

8 comentários:

  1. Olá Letícia!!
    Sinto muito pela sua perda!!
    É bem assim, fatos que nos deixam sem chão, sem saber para onde correr, nesse momento sabemos com quem podemos contar, ter um ombro amigo para apoiar!
    Força Amiga!
    Um grande beijo no seu coração!!
    Pri Aitelli
    www.mamyantenada.com

    ResponderExcluir
  2. Meus sentimentos Léticia, a perda de um entre querido nos deixa no chão realmente.
    Tudo vai ficar bem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Muito difícil mesmo lidar com perdas, sei como é, mas a vida nos reconforta, com o tempo tudo melhora e se aceita, dói sim, viva essa dor em toda a sua potencialidade, pois só assim podemos nos libertar e continuar!
    Deixo abraços bem apertados e os meus sentimentos solidários!

    ResponderExcluir
  4. Que Deus conforte seu coração Le.

    bjokas =)

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!