12 agosto 2015

Deixar ou não meu filho namorar?!

    Os pais estão começando a fazer este questionamento cada vez mais cedo.  Não é raro depara-se com crianças de 12, 13 anos com seus namorados. Certo?! errado?! Bom, não é sobre isso que o post irá tratar. O que está em pauta aqui é o que deverá ser levado em conta quando essa questão surgir. Até porque a sua negativa não significa que o namoro está acabado afinal, namoro escondido não é algo desconhecido.
    Como sempre falo nos meus posts ter um relacionamento baseado na confiança, amizade e limites é essencial. E em uma situação como essa não seria diferente. Desse modo, vamos a alguns pontos que considero importantes levar em conta ao se falar sobre adolescentes e namoro:
Imagem do site Uol Mulher
  1. Diálogo. Não faça de temas como namoro ou sexo seja um tabu em sua casa. Muitos pais têm medo de que conversando sobre estes assuntos estarão estimulando os filhos a colocar em prática. Mas, se não for através de você seu filho procurará informação com outra pessoa que geralmente é um amigo também adolescente.
  2. Confiança. Se seu filho falou pra você sobre o interesse em namorar isso é sinal da confiança que ele tem em você. Muitos adolescentes namoram escondido por receio da reação dos pais. Mesmo que você ache que não seja a hora certa, deixe claro o quanto foi bom esse voto de confiança e exponha os motivos para o não.
  3. Limites. Você aprovou o namoro, e agora?! Conheça o namorado (a) e sua família. Especialmente se seu filho for muito novo. Converse com os pais do namorado (a) para estabelecerem limites em comum com relação a local de namorar, horário, etc.
  4. Monitoramento. É complicado não extrapolar a linha tênue entre monitorar e invadir a privacidade. Mas acredito que com diálogo isso é possível, esteja sempre atento ao que acontece no relacionamento do seu filho, afinal ele ainda está sob sua responsabilidade.
    Seu filho já namora?! Conte nos comentários como você lida com a situação.

7 comentários:

  1. O namoro desta fase é aquele de ficam conversando, se conhecendo.
    Ao meu ver isso não é ruim, passando disto não acho legal.
    Se nós adultos não sabemos lidar com as frustrações de relacionamento, o que dirá as crianças que não estão preparadas para tais desilusões amorosas.
    Eu acredito que para tudo tem o tempo certo e tudo precoce depois acaba sendo prejudicial.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Bell...e nos dias de hoje fica cada vez mais complicado pros pais lidarem com isso, já que as crianças estão super precoce! Beijo

      Excluir
  2. Minha mãe sempre foi muito liberal comigo, quando eu era novinha, ela me fazia terminar se não gostava do garoto e vale ressaltar que desde que eu apareci com o meu primeiro namoradinho ela já me ensinou como colocar camisinha e me contou que mulheres que esperam para transar costumam ter uma primeira vez boa de ser lembrada. No final eu só passei a "ter amassos" com o meu namorado enquanto as outras garotas da minha sala já tinham vida sexual ativa e só fiz sexo depois que passou aquela fase da adolescência que a gente fica louco por sexo.

    http://heytutty.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal que esse assunto não era tabu entre você e sua mãe. Desse modo é mais fácil de estreitar a confiança! Beijo

      Excluir
  3. Nossa, lembrei de quando a minha enteada me falou que estava namorando (antes de falar com o pai), rsrsrs!!
    Confiança é tudo! e proibir não é o caminho!!
    Bj Bj
    Pri Aitelli
    www.mamyantenada.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião!
Obrigada por enriquecer esse Blog!